TCM Premium com Quinoa


Os triglicerídeos de cadeia média (TCM) proporcionam vários benefícios para a nossa saúde. Encontrados no coco ou na palma e com 10% menos caloria que os TCL (de cadeia longa), são rapidamente metabolizados no organismo e levados diretamente ao fígado e músculos, onde são utilizados como fonte de energia. Essa digestão mais fácil é explicada pelo fato de os TCM exigirem menos enzimas e substâncias biliares para serem absorvidos pelo intestino. A diferença entre o óleo de coco e o TCM é que este é mais otimizado e proporciona mais ganhos. Só para se ter ideia, o óleo de coco (fonte muito rica de nutrientes) possui  62% de TCM. Ou seja, o coco o tem, só que um nutracêutico feito unicamente com TCM cumpre melhor a função.

Atualmente, o TCM se tornou opção nutricional que pode dar mais energia imediata para o corpo, aumentando a disposição para desempenho das atividades. Existe até algumas indicações e receitas com o uso de café, manteiga ghee e TCM. É o famoso “Bulletproof Coffee” ou “Café à Prova de Balas”, um rico energizador muito utilizado principalmente por executivos.

A rapidez com que promove a energização do organismo, além do que já foi exposto aqui, é explicada também pelo fato dos TCM penetrarem na mitocôndria (cuja função é gerar energia, por meio da síntese de ATP – trifosfato de adenosina) muito facilmente. Isso não ocorre com os TCL, que precisam da L-carnitina para realizar esse processo.

Além de ser uma fonte privilegiada de energia, os TCM colaboram também nas dietas de redução de peso, controle do apetite, glicemia, fortalecimento do sistema imunológico, ajuda na melhor performance física e mental, auxiliam o intestino.

Quanto à contribuição no processo de queima de gorduras corporais e emagrecimento, pesquisas apontam resultados positivos nesses quesitos. Sua ação termogênica contribui para acelerar o metabolismo e ainda na sensação de saciedade, fatores importantes para quem está em busca de perder os quilinhos a mais. Um desses estudos foi realizado na Universidade de Columbia (USA) e reuniu 49 pessoas, homens e mulheres, com idade entre 19 e 50 anos. Os resultados, após 16 semanas, foram muito satisfatórios e os participantes apresentaram redução de medidas. É claro que isso não dispensa também os exercícios físicos, o movimentar-se.