Nutrientes essenciais depois dos 40 anos

“Pense em vitaminas e nutrientes como um exército que vai combater doenças relacionadas à idade. E a melhor maneira de construir este exército é tendo uma dieta saudável”, diz a norte-americana Kristin Kirkpatrick, do Programa de Nutrição e Bem-estar, do Cleveland Clinic Wellness Institute. Embora seja sempre importante comer bem, isso se torna essencial depois dos 40 anos, porque é quando as regras começam a mudar, diz ela. “Seu corpo provavelmente não está funcionando da mesma maneira aos 40 como era aos 20”, destaca.

A massa muscular começa a diminuir. Nós somos muito mais propensos a engordar, o risco de doenças crônicas como câncer, doenças cardíacas e diabetes aumenta.

Uma solução é cuidar da alimentação e da suplementação, ingerindo vitaminas e os nutrientes certos. Abaixo, os principais que merecem a nossa atenção.

  • Vitamina B12

Após os 40 anos, a vitamina B12 deve entrar em seu radar. Ela é essencial para o funcionamento normal do sangue e do cérebro. Todavia, passa a ser mal absorvida conforme corpo envelhece. Principalmente, por volta dos 50 anos, porque é quando o nível de ácidos do estômago começa a ficar crítico.

Assim, após 40 e antes dos 50 é um bom momento para começar a fazer a suplementação com B12, nas quantidades adequadas. Como é hidrossolúvel, o nosso organismo acaba eliminando o que não precisa.

  • Cálcio

Esse nutriente desempenha um papel na manutenção da saúde óssea. O nutriente é necessário também para outras funções básicas do corpo, como contração muscular, regular os impulsos nervosos e os batimentos cardíacos, coagulação sanguínea e outras reações bioquímicas. Se não recebemos cálcio suficiente em nossa dieta, o corpo os rouba dos ossos, enfraquecendo-os e podendo causar a osteoporose. Lembrando sempre que a suplementação apenas com o cálcio isoladamente não é recomendado. Deve-se optar por compostos que tenham magnésio, vitamina D3, K2. Dessa forma, esse mineral será armazenado nos tecidos duros (ossos) e não nos tecidos moles (artérias).

  • Vitamina D3

A vitamina D3 é fundamental, especialmente depois dos 40, porque ajuda a proteger contra as mudanças relacionadas com a idade. Deficiências de vitamina D3 têm sido associadas a diabetes, doenças cardíacas, esclerose múltipla, câncer de mama e colorretal (mais comuns a partir dessa idade). O sol é a melhor fonte dessa vitamina, mas nem todos se expõem aos raios solares nas condições, tempo e horários adequados. A mais forma segura e eficaz, portanto, é por meio da suplementação.

  • Magnésio

O magnésio ajuda a regular a pressão arterial, que é especialmente importante para quem já passou dos 40 anos e pode ter hipertensão arterial, devido ao envelhecimento. Deficiências em magnésio têm sido associadas a doenças cardíacas, diabetes e inflamações. Além disso, ajuda o corpo a absorver o cálcio e desempenha um papel nos músculos, nervos e função cardíaca, bem como no controle de glicose no sangue.

  • Omega 3

O ômega 3 também é fundamental, devido aos vários benefícios que traz à saúde. Especialmente, porque ele ajuda a combater algumas das consequências do envelhecimento, como aumento do risco de doenças cardíacas e cerebrais. Além de ajudar a baixar a pressão arterial e os níveis de colesterol ruim (LDL), reduzem o risco de doenças cardíacas e desempenham um papel na manutenção da memória e das funções cognitivas.

Estudos apontam que pessoas com níveis ideais de ômega 3 no organismo, tem melhor desempenho em testes de memória, atividades de planejamento, pensamento e raciocínio, em comparação com indivíduos com níveis mais baixos.

  • Coenzima Q10

Este nutriente está associado à ATP – moléculas fornecedoras de energia para o nosso organismo. Encontra-se em maior concentração no coração, rins, cérebro e fígado. Nosso corpo fornece a Q10 de maneira natural para as funções necessárias à nossa saúde. Todavia, depois dos 40 anos, passa a ser produzida em menor quantidade. Por isso, o aumento do cansaço, fraqueza muscular e outros problemas ocasionados pela sua deficiência. A Q10, além de nos dar mais energia, ajuda a regular os batimentos cardíacos, funciona como antioxidante (com a idade, passamos a liberar mais radicais livres, aumentando o risco do aparecimento de doenças), apresenta ação anti-inflamatória, contribui na melhoria da imunidade, etc. Aqui a suplementação é fundamental, pois segundo pesquisas, apenas 10% da Q10 dos alimentos é absorvida pelo nosso organismo.